malíciaDeixa o sol acalentar a sua pele
E deitar no horizonte dos seus olhos
Por saber do amor que se esconde no seu peito

Deixa que seu corpo se entregue
Que se queime em meus abraços
E que todos os nossos passos nos traga sorrisos

Não olhe por cima do poente buscando o amanhã
Apenas se permita aquietar nas carícias
Na malícia, na melancolia de uma noite de luar
Deixa ficar, deixa soprar, deixa fluir

Para quando amanhecer, estarmos acordados
Sem medos, apenas calados
Suspirando, dedos entrelaçados
E um eu que é você

Nairon J. Alves
Janeiro, 07, 2015 às 00h47min.