O DeusHoje sou rima, saudade e até dor,
No dissabor de coisas fugidias,
E no doce de todas as lembranças
Que cantam sua glória
Pelo cominho que trilhei.

Hoje sou cor, clareza
E uma certeza preguiçosa,
Que dorme em mim a sono solto,
De que não há o que temer,
Só descansar os olhos,
Por um minuto ou dois,
E respirar novas memórias,
E todas as estórias que me for contada;
Cantada em prosa ou poesia.

Hoje sou verdade e um pouco mais
Sou paz, sou calmaria,
Sou calor de águas que abraçam
E cura os males de almas tristes
Sou alguém que existe plenamente,
Pois, acima de tudo, sou felicidade,
Amor e esperança que dançam
No amanhecer de novos sonhos.
Hoje sou o Deus de mim!
Por isso, sorrio, sorrio e fim…

Nairon J. Alves.
Abril, 15, 2013 às 07h00min.