RotinaEu vejo ventos de todas as cores,
Sons de todos os tons,
Perfumes que me lembram de amores,
Aromas que já esqueci.
Vejo o brilho vermelho de faróis,
Que, ao contrário do sol, cortam a noite,
E se abrandam no dia,
Correm desesperados
Enfrentando a monotonia
De chegar antes do tempo,
Que passa na calmaria.
Mas, o que mais percebo,
São as pessoas que morrem em vida,
Sem brilho nos olhos, sorrisos nos lábios
E amor em parte alguma.
Por tanto, não deixe se levar na rotina,
Não deixa abrandar a paixão,
Acorda o coração que no peito guarda
E retrata no brilho dos olhos
O que o cinza do mar de caos tenta esconder,
Permita-se sentir,
Permita-se viver,
Isso é tudo que tenho a lhe dizer.

Nairon J. Alves
Março, 06, 2013 às 22h36min.