Águas ClarasHoje sou todo prosa e até canção,
Oração entoada ao vento
Pedindo aos deuses um pouco mais,
Um pouco mais de chuvas de sorrisos,
Pois, quero as águas claras
De olhares ternos
E o doce de abraços apertados,
Para que todo amor,
Que tenho, em mim, guardado,
Possa preencher o espaço
Que a saudade construiu.
Eu que já nem sei, ou melhor, sabia,
Hoje sou todo melodia
Ecoando pelo espaço,
Na certeza que o teu abraço
Vai salvar meu coração.
Tanto que, para o final,
Peço ao sol o céu, vítreo azul,
Felicidade, me dê à mão,
Pois hoje eu sou poesia…
E um pouco mais.

Nairon J. Alves
Janeiro, 17, 2013 às 22h58min.