Escuto a chuva que ao vento dança,
E as gotas que cantam,
Ao beijar o chão,
E na canção falam das lembranças
E a vontade em seus corações.
Mas a distância que as separavam,
No toque simples
Com as pontas dos dedos,
Desfez-se saudade,
Dissipou os medos,
E com verdade refez-se em esperança,
Para que outras em lembranças
Pudessem guardar.
Enquanto umas cantam
E as outras dançam,
Eu olho para o mar
E ao sussurrar para o vento,
Eu digo que meus pensamentos
Estão pra lá, logo depois do tempo,
Cujo sorriso me faz um só, um nó
E sentimento
Com você, que me transformou,
Em felicidade.

Nairon J. Alves
Agosto, 13, 2012 às 11h11min