Amor, que me desfez,
Fez, em mim, o amor que me refez,
Dos ventos que me perdi
Até o que te encontrei
Além, ao longe, no céu azul.

Amor, que me enciúma,
Já não sou sol, só ou lua,
Sou os três ou quatro com as estrelas
Porém, a quem queira saber,
Sou eu pura felicidade.

Amor, cuja saudade é constante,
E as palavras insuficientes,
Não sei se te escrevo, descrevo
Ou se me calo,
Porém decido eu, e falo
O quanto gosto de te sentir.

Amor, eu sei, as coisas acontecem,
Fluem e são como devem ser
Mas digo que, sou eu amante,
Da nascente ao poente e o amanhã
Do seu riso solto.

Amor, que me desfez,
Fez, em mim, amor que me refez
Melhor.

Nairon J. Alves
Julho, 26, 2012 às 16h50min.