Das damas és tão bela,
Tu dama das cores
Dos amores, dos desejos,
Das flores a dama-da-noite
Em teu peito tantas angustias,
Saudades, dissabores
Olhares, rumores e os segredos,
Segredos concomitantes.
Que seja, dama dos amantes,
As noites frias com seus perfumes
O estigma.
Pois sois tão só em seus sorrisos,
Quanto és vários em teu sabor.
Sorria pra mim,
Com candura, doçura e um pouco de amor.
Pois das damas és tão bela,
Das cores, amores, desejos e flores.
Sois vós, minha Dama da Noite.

Nairon J. Alves
Julho, 12, 2012 às 00h40min