Coragem,
Controlarei a ansiedade que em meu peito palpita,
Pois na esquina em que me encontro,
Não sei se volto, se fico ou se passo,
No momento em que disfarço
A tristeza com um sorriso
Ao estranho que me olha
Com ar de velho amigo.
Sou cá um pouco, um tanto,
Uma parte, um pranto,
De uma grande trajetória
Talvez até um canto,
Que se encante um passarinho.
Sei que não sou eu mais tão sozinho,
E ao sol se por atrás de mim,
Posso fugir noite adentro
E fazer da lua minha refém,
Quem sabe eu não inspire alguém a me seguir,
Talvez a faça rir, como a criança que já não é.
Não preciso de muito,
Só de coragem
E um pouco de fé.

Nairon J. Alves
Julho, 09, 2012 às 00h42min