Ainda que a felicidade seja efêmera,
E a tristeza seja atroz,
Quase não fale, sussurre ou suspire,
Pois não precisa que sintam inveja ou piedade
Do teu coração.
Mesmo que você seja só saudade,
Quem sabe até vazio,
De certo o teu peito arde,
Por sentimentos, verdades, medos ou frio.
Mas há uma certeza que preciso dizer:
Nem toda tristeza que em você palpita
É saudade que em seu peito grita
Pra ter liberdade no afago, abraço ou canção.
Contudo, nunca se esqueça,
Ame o que for possível,
Ame o que tem nas mãos, ame a você.

Nairon J. Alves
Junho, 28, 2012 às 14h05min