Eu que digo, não, não é possível,
Ainda conhecerei quem morreu de amor,
Num céu talvez ou, quem sabe, uma vez,
Enquanto estiver vivendo.
Por enquanto, eu vejo flores e um caminho sem fim,
Montes de saudades, medos,
E pedaços que caíram de mim.
Lagrimas nos olhos, corações na mão,
Dedos cansados de escrever uma canção.
Eu digo que não, sim, não é possível,
Não é possível viver e morrer de amor.

Nairon J. Alves
Junho, 05, 2012 às 19h52min.