Não me cubra os olhos com tristeza
Não me chame sem sorrisos,
Eu sei, por esses dias me encontro perdido,
Mas é o dissabor de outra história,
É o pesar por outro alguém.
Um fardo que não se conta,
Nem se aponta um culpado
Sim! Por que não?
Devemos olhar para todos os lados,
Há sempre o que se ver, se construir,
Mas um dia ou outro meu peito aperta
Com a tristeza e a saudade,
“Oh! Que vontade de te abraçar.”
N’outro dia me deparei com uma lembrança,
Um beijo, um cheiro, um cafuné,
Um sussurro ao pé do ouvido,
Sorri com os olhos perdidos vislumbrando o nada
Ou um tudo qualquer.
Melhor eu parar, não vou ganhar nada,
Só tristeza, uma falsa aliada.
Sendo que, há quem diga que saudade faz bem,
Mas esse alguém nunca amou de verdade,
Não exista ir e vir que seja bom,
Nem a ausência que se resuma em saudade
Cuja ausência seja findada com um beijo e um abraço,
Há de se ter, nos próprios braços,
Com todos os cheiros, cores e sensações,
O amor que já não tem,
Que não mais te pertence,
Pra que se conte uma história
Que não seja fictícia,
Como a novela, onde todos terminem felizes para sempre.

Nairon J. Alves
Abril, 19, 2012 às 00h50min