Eu conheço os seus sorrisos
Como se fossem meus, e são,
Como são os olhares
E as manhãs solares
Com meu querido céu azul.
Eu sei, e como sei,
Do brilho nas gotas de orvalho
E a brisa gelada que me abraça forte.
Assim como sei,
Que a dor que me aperta o peito,
Na mais pesada saudade,
É a vontade que me consome
De tomar pra mim de volta,
Não por capricho, por isso,
Daria meia volta para o silêncio,
Mas pelo amor
Que cultivo em segredos,
Pelo pássaro que permiti voar.

Nairon J. Alves
Abril, 11, 2012 Às 22h00min