Na ausência de palavras
Fiz de mim pensamentos
Com gotas de saudades
Nos meus sentimentos.

Quem dera fosse verdade
Que a minha saudade
Não doesse por dentro,

Com tantas lembranças
Eis aqui um momento
Um pouco de sorte
Um abraço bem forte
E um longo silêncio
Um cheiro, um som
E um tom de cor esquecido

Não sei,
Não sei nem se faz sentido,
Só sei que a verdade
Que, em mim, a saudade
Acaba num poema romântico
Com a melancolia de quem sente
E que a gente, não está só,
A dor; a dois.

Nairon J. Alves
Dezembro, 30, 2011 às 01h11min