Verde a mim seu sorriso meu, com gotas de orvalho
E que me preencha como flores e galhos
De uma árvore que cansada insiste em viver.
Ver de me ver entrar em seus sonhos, ou nos meus,
Ao teu lado, com um sorriso atravessado nos meus lábios
Cuja verde esperança me traga as lembranças do somos
E acenda o amor vermelho que temos.
Eu sinto a cinza saudade pulsando entrecortada por tons de azul,
E no velho blues que ouvíamos nos sentíamos completos.
Ver, de esperança que me domina, e me ensina a ter calma
Mesmo que o tempo não volte
Mas que você volte pra mim.
Verde esperança, nascerei como broto amanhã de manhã,
Para que o sol amarelo, felicidade, brilhe sobre mim.

Nairon J. Alves
Dezembro, 17, 2011 às 19h