Tudo agora é só silêncio,
Não dor, não amor, nem carinho
Apenas um vazio
E um frio na barriga, ansiedade.
Tudo agora é sobre amor
O que se tem, o que não se tem
E o que se quer a qualquer custo.
Nem tudo agora é sobre dor
Sobre ausência ou perda.
Tudo agora é sobre respostas
As não ditas, as não questionadas,
As que ficaram esmagadas nas entrelinhas,
Nas entrelinhas de cada ser,
De cada gesto, de cada ação.
Tudo agora é melancolia, saudade
E uma dose generosa de solidão.
O bom é que tudo agora é inspirador
E vem com uma fome, tão doce, de renovação
Além do aprendizado que trás.
Por isso eu não faço barulho, nem alarde,
Não quero ter que mudar, só seguir.
Porque tudo agora é só silêncio
Nada mais, nada além, simples assim.

Nairon J. Alves
Novembro, 10, 2011 às 12h21min