Um sorriso ou dois em um beijo meu
Em cada lado da face e no sabor doce dos lábios
Na essência da saudade e urgência do encontro
Vem tempo bobo do meu peito,
Acelerar e desacelerar no descompasso de minhas mãos,
Vem tiquetaquear uma só canção
No continuo vazio do espaço que nos separa.

Um sorriso ou dois, pois, em um beijo meu
Acalentei cada lado da face,
Além do sabor doce dos lábios,
A essência da saudade,
Marcadando, sem duvida, o arquejo sincero
Onde já nem me importa o tiquetaquear,
Nem se quer me recordo o que seria respirar.

Um sorriso ou dois após um beijo meu
Cujo contentamento ruboriza minha face,
Já se quer nem sinto a tal essência da saudade
Só o tremor constante de mãos que cessaram os movimentos,
E descansam sobre o peito cujo tempo se acalmou,
E a canção frenética, já não passa de uma calma melodia,
Que mais me lembra as canções de ninar
Além de respirar o cheiro doce,
Da essência da saudade que por dias estivera ali.

Quem me dera um sorriso ou dois em um beijo meu
Em cada lado da face e no sabor doce dos lábios,
Todos os dias, para que a saudade seja a alegria,
De poder ouvir o tiquetaquear do meu coração
Que, por simples nostalgia, já nem se lembra de cantar
Só com o tremor das mãos.

Nairon J. Alves
Novembro, 12, 2011 às 03h03min