Eu sinto a brisa morna e o calor da sua pele
Como um verão que me consome,
Eu sinto a libido ferver em meu sangue,

Desejo o hálito morno de todos os amantes
E o ventinho suave que contrasta com o ardor que me toma
Aquele que faz com que meus pelos pareçam eletrificados,
E tomado de arrepios eu sinta ainda mais.

Eu quero o mar calmo de todas as tardes de verão
Com a chuva e a sensação de estar em seus braços
Até que o sal seque na pele,
Até que o sol se ponha e o céu mude de cor

Eu quero os tons alaranjados de amor
Numa tarde quente de verão,
Com o mar, a chuva, a brisa, o sal… E você.

Nairon J. Alves
Janeiro, 21, 2011 às 00h43min