Já procurei em todos os lugares,
Já vasculhei todos os andares
Da minha alma, a calma,
E a ironia de não encontrar.
Já tive sonhos espetaculares
E ainda assim, continuo a procurar.
Talvez não exista um, talvez não exista nada,
Talvez… Enfim, deixa pra lá.
Talvez o amor caia do céu,
Em meio à chuva de verão,
Quem sabe num pedacinho de papel
Disfarçado de cartão.
Eu não sei mais procurar,
Já deixei a expectativa de lado,
Mas eu sei que vou amar, ou não.
Em algum lugar. Eu sei. Você existe. Pra mim.
Amor, te encontrarei,
Na próxima chuva de verão, quem sabe? Assim!

Nairon J. Alves
Outubro, 10, 2010 às 22h19min