Não é sempre que enxergamos além
Não é sempre que vemos através das coisas
Que vemos a verdadeira face
E a encaramos, como deveria ser.
Às vezes, não se permitem,
E quando permitem, temem.
O que estará errado?
Seria um fardo ser sincero?
Simples seria relembrar a infância
E a dinâmica da inocência
Em cinco minutos criar amigos eternos
E por tê-los ao seu lado ser o mais feliz
E quando acabar…
Em cinco minutos superar a dor de perdê-los.
É preciso sorrir por ter um bom momento
Não se lamentar pela inutilidade das coisas
O vento sopra em várias direções
Que tal a universalidade de um olhar?
Ou a segurança e a exclusividade de um abraço?
Pra ser feliz não precisa muito,
Basta se dispor a enxergar além.
Não é sempre… Que estamos vivos!

Nairon J. Alves
Setembro, 22, 2011 às 23h55min