Inventar uma realidade de sonho
Cantar verdade em palavras ocultas,
O que é felicidade quando não se tem nada?
O que é verdade se toda ilusão é inventada?
Brincar de sorrir, por querer sorrir
Entre a indiferença de ser,
E ser o que se deseja, sem conseguir
E ainda assim não ver,
Ou ter esperanças de se realizar
O idealismo sonhado,
Ter todas as mínimas coisas
Cantaroladas pela brisa suave em minha face
Em face do que eu venha a ter,
Enfrentar os medos escondidos.
Ao todo o destino insólito
Que não seja lagrimas secas do passado
E dores cortantes no meu ser,
E ver que se há de apreender
Toda a glória roubada por outros
E me arrepender por não ter vivido por mim
O que é felicidade quando não se tem?
Inventar uma realidade não,
Não é realizar desejos,
É se entregar aos medos
Sem a certeza de que há de se deixar…
… Viver de sonho, e realizar.

Nairon J. Alves
Agosto, 20, 2011 às 13h33min