Andei pensando sobre o assunto
Sobre namorar livros e palavras
E me casar com a música
Amadrinhado pelas telenovelas
E compartilhar meus passos e pensamentos
E dedicar-me ao amor, esquecer a dor
E assim, talvez, abandonar o egoísmo
Ou o apego de ter mais um coração
Um coração partido no meu passado
Sem ter medo de ter sonhos quebrados
Uma briga com o vento, ou um lamento
Um contentamento no acaso da solidão
O estar só, mas acompanhado
Acompanhado de tudo que é preciso pra estar
Estar feliz, ser feliz
E sorrir ainda que não esteja bem
E para secar as lágrimas ter o lenço do tempo
Que apaga a dor mais severa
E abranda a paixão mais afogueada
Daquelas que urgem na razão de se ter
E se ver que há de se apaixonar
Continuar, ainda assim,
Namorando livros, palavras
E viver uma história de amor,
E se ver que há de amar
Continuar casado com a música
Amadrinhado pelas telenovelas.
E ainda que tudo o que eu tenha seja dor
Por que não sorrir com a comédia de ter?
Por que não ver?
Ainda hoje estive pensando sobre…

Nairon J. Alves

“Há algo a ser dito sobre esse poema, não foi eu quem pensou dessa forma, ainda que tenha escrito o mesmo. Há uma pequena curiosidade, pela segunda vez uma pessoa que não conheço, a não ser pela troca de alguns tweets, me inspira a escrever com suas frases sobre assuntos aleatórios. Bom, o inicio do poema partiu de um tweet dele, do R. Vinícius e, eu apenas tenho que agradecer pela inspiração para escrever, o que alguns disseram ser, o melhor poema feito por mim.”