Eu sinto toda a necessidade de sentir, ou não,
Eu to assim, sem nada, como se nada algo fosse,
Eu to perdido em lagrimas, caído, sem vontade,
Pela metade aprendi a esperar, vou caminhando,
Na calmaria de nada, onde sentir dói, me destrói.

Eu vou assim, sem nada, e o que era já pode sonhar,
Eu sinto o charme do fogo, do sonho o gozo, santo,
Eu sigo o resto, sem aspiração, pela fresta, outra parte,
Descansando, eu não queria, imploro para acordar,
Eu desisto do destino, apago a cor da calma, palmas,
Já podemos celebrar.

Eu me vingo de mim mesmo, de meus anseios,
Que na calma me fez viciar, nadar, nadar, mar,
Eu estou assim, sem rima, eu perco aquilo, o que é certo,
Sem fé, nem manto, eu peço tanto, mais afeto,
Eu vou andando, me remontando, outra metade,
Eu sei, devo me encontrar.

Cansei

Nairon J. Alves